quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

ORGÂNICOS - OPÇÃO DE VIDA OU MODISMO??? PARTE II

O consumo de alimentos sem agrotóxicos está crescendo no Brasil. Segundo pesquisa de 2007 da LatinPainel, os orgânicos já são preferência de 20% dos brasileiros e mais da metade destes (54%) é motivada pela preocupação com a saúde.
Muitos brasileiros preferem os alimentos orgânicos há cerca de sete anos  e muitos nem sabem por que, mas se um artista come, é por que é bom não é mesmo??
Temos que mudar este pensamento. Vida sustentável tem que ser item obrigatório no currículo escolar e tem de começar de cedo, pois nós burros velhos já estamos perdidos(quem sabe exista uma luz no fim do túnel), quem sabe se não conscientizarmos nossas crianças daqui há 10 anos esta semente não cresce?. "



O que realmente me deixa consternado é a falsa  propaganda e preocupação feita em torno dos orgânicos e não estou nem me referindo sobre os valores nutricionais e afins. Muitas instituições e pessoas querem vender a ideia que se é orgânico o produto já é sustentável, sem falar de quererem passar a imagem de boas para o planeta."

A produção sem o uso de agrotóxicos é o fator preponderante para que a sua escolha seja certa. "Primeiro, os orgânicos são mais saudáveis, já que não usam nenhum veneno. Além disso, eles também são mais saborosos" é claro.


No entanto, o número de consumidores desse tipo de alimento no Brasil ainda é muito pequeno em relação aos dos Estados Unidos e Europa. Isso se deve, em grande parte, ao desconhecimento que os brasileiros têm do assunto.


Posso citar inúmeros chefes que vem trabalhando a fios para que o orgânico seja item constante no dia-a-dia da mesa do brasileiro.
 
Nós chefes de cozinha temos que ter esse compromisso e é bonito ver os esforços como da Chefe Mônica Rangel ,  Paula Labaki e Luana Budel com trabalhos maravilhosos em prol dos orgânicos mercado brasileiro e de muitos outros chefes que poderia horas citar aqui.
 

"Levar a natureza a mesa, sem adição de produto químicos, trangênicos enzimas hormônios e quais quer outras substâncias  que possam comprovadamente alterar a normalidade do organismo humano"
Chefe Paula Labaki
  






Uma parceria entre o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Meio Ambiente, Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Desenvolvimento Agrário, entre outras entidades, pretende incentivar o consumo de produtos orgânicos.

Dezenas de seminários, feiras, palestras, degustações, circuitos gastronomicos, visitas a fazendas orgânicas, entre outras iniciativas serão realizadas no Acre, Alagoas, Bahia, Brasília, Goiás, Mato Grosso do Sul, Pará, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo.



Agora prestem atenção e cuidado com alimentos orgânicos! Eles podem parecer saudáveis e inofensivos (e até são), mas um novo estudo aponta que eles distorcem a percepção das pessoas de uma maneira que pode promover a obesidade. Isso porque, segundo o estudo, as pessoas presumem que alimentos orgânicos têm menos calorias e por isso não veem problemas para devorar cookies orgânicos com mais frequência do que os regulares, por exemplo. Praticar exercícios físicos foi também considerado menos importante depois de comer doces orgânicos.

Os resultados dessa pesquisa seguem a linha de trabalhos anteriores, mostrando os rótulos dos alimentos podem estimular equívocos. Por exemplo, a rotulagem de um alimento como “baixo teor de gordura” pode levar as pessoas a pensar que ele também tem poucas calorias e alimentos marcados como tendo “baixo colesterol” podem ser considerados com menos gordura também. Além disso, há uma forte tendência de associar comida “orgânica” com atitudes saudáveis, afirmam os pesquisadores.


Atualmente, a produção orgânica brasileira ocupa cerca de 6,5 milhões de hectares e envolve aproximadamente 20 mil produtores, dos quais 80% são pequenos. Entre os parceiros da iniciativa estão também a Associação Brasileira de Supermercados (Abras), Comissões da Produção Orgânica nas Unidades da Federação (CPOrg-UF), Banco do Brasil, Sebrae, WWF, Planeta Orgânico e Sindiorgânicos.

"Criar uma relação com essa mesma natureza, em função do seu ambiente. são ações utilizando alimentos com certificados, preferindo fornecedores locais criando opção ao uso do industrializados e racionalizando o uso de materiais sem possibilidade de reciclagem"
                           Luana Budel

“Meu frango é caipira e orgânico ao mesmo tempo”, diz. No Gosto com Gosto, a galinha caipira para fazer o molho pardo é abatida na hora. “O prato fica pronto em até duas horas.”.
"Os pintinhos não nascem no próprio quintal, são comprados com um dia de vida.  Eu os alimento só com coisa boa: couve, milho, salsa, cebolinha, ora-pro-nóbis (planta trepadeira usada refogada na culinária mineira) e sobras do  meu restaurante."
Mônica Rangel






No Brasil, a regulamentação de produção orgânica possui a Lei nº 10.831 (23/12/2003)e o Decreto nº 6.323 (27/12/2007) que regulamenta a lei.




I – a oferta de produtos saudáveis isentos de contaminantes intencionais;

II – a preservação da diversidade biológica dos ecossistemas naturais e a recomposição ou incremento da diversidade biológica dos ecossistemas modificados em que se insere o sistema de produção;

III – incrementar a atividade biológica do solo;

IV – promover um uso saudável do solo, da água e do ar, e reduzir ao mínimo todas as formas de contaminação desses elementos que possam resultar das práticas agrícolas;

V – manter ou incrementar a fertilidade do solo a longo prazo;

VI – a reciclagem de resíduos de origem orgânica, reduzindo ao mínimo o emprego de recursos não-renováveis;

VII – basear-se em recursos renováveis e em sistemas agrícolas organizados localmente;

VIII – incentivar a integração entre os diferentes segmentos da cadeia produtiva e de consumo de produtos orgânicos e a regionalização da produção e comércio desses produtos;

IX – manipular os produtos agrícolas com base no uso de métodos de elaboração cuidadosos, com o propósito de manter a integridade orgânica e as qualidades vitais do produto em todas as etapas.

CONTINUA......


§ 1o A finalidade de um sistema de produção orgânico é:
O primeiro parágrafo da lei tem nove itens que descreve o sistema de produção orgânica:
Nos dois documentos está, principalmente no decreto, descrito tudo que uma empresa e afins precisa seguir para que seus produtos sejam orgânicos.

3 comentários:

bu Vitor Hugo disse...

A grande maioria não entende o conceito de orgânico ou sustentável, e muitas empresas fazem o chamando greenwashing, isso é fato.

Na verdade, alimentos orgânicos não são isentos e podem fazer mal sim! Como qualquer outro tipo de ingrediente, se o manejo não for feito de modo responsável, tudo é perdido. Exemplos disso não faltam, manteiga de amendoim orgânica (com selo do USDA), contaminada com Salmonella.

bu CHEFE MÁRCIO MOREIRA disse...

Verdade Vitor , e iso que nós chefe temos o trabalho de conscientizar a população.

aliás parabéns pelo seu blog ele é simplismente maravilhoso , cheio de informações e técnicas.
e sua leitura é muito ogostosa. Parabéns

bu kaka monteiro disse...

Olá Vitor!
Sabe uma marca confiável?
Obrigada!

Postar um comentário

 
Powered by Blogger